Data das Avaliações

1ª Frequência - 28 de Março
2ª Frequência - 16 de Maio



Avaliação - descrição

  • A avaliação desta unidade curricular (UC) será baseada numa componente teórica, com o peso relativo de 75%, e numa componente prática, com o peso relativo de 25%, sendo ambas as componentes avaliadas periodicamente ao longo do semestre (Modo 1 de avaliação do RP). Os alunos serão classificados de 0 a 20 valores em cada uma das componentes.

  • A aprovação na unidade curricular resulta da obtenção de uma média ponderada final (Nf) igual ou superior a 10 valores, valor obtido após arredondamento à unidade mais próxima, entre a nota da componente teórica (NT), que não pode ser inferior a 9,0 valores, e a nota da componente prática (NP), que não pode ser inferior a 8,5 valores. A nota final, Nf, será calculada pela seguinte expressão:
Nf = 0,25xNP + 0,75xNT

  • A avaliação da componente prática será periódica e efectuada através da realização de dois testes escritos sobre os trabalhos práticos (P1, P2). A classificação final da componente prática (NP) será dada pela média aritmética dos dois testes. Uma média final da componente prática inferior a 8,5 valores ou a não assistência a um mínimo de 70% das aulas práticas, implica a não admissão do aluno a exame e a consequente reprovação na UC.

  • A avaliação da componente teórica será periódica e efectuada através da realização de dois testes escritos (T1, T2) e de um trabalho monográfico (TM)., sendo a classificação final desta componente (NT) dada pela expressão:
NT = 0,35xT1 + 0,35xT2 + 0,30xTM

  • Caso a classificação global da UC obtida seja inferior a 9,5 valores o aluno poderá repetir um dos testes, na época normal de exame, desde que tenha obtido uma classificação igual ou superior a 9,5 valores a provas ou instrumentos de avaliação que, no seu total, correspondam a, pelo menos, 50 % do valor da fórmula de cálculo definida para a classificação final da UC (Modo 2 de avaliação do RP).

  • A avaliação da componente teórica pode ser feita, opcionalmente, através da realização de um exame global na época normal ou na época de recurso (Modo 3 de avaliação do RP).

  • É obrigatória a inscrição prévia do aluno no SIDE para todas as provas de avaliação que pretenda realizar, sob pena de não as poder efectuar. O prazo para as inscrições termina 48h antes da hora marcada para a avaliação em causa.

  • Os casos omissos nas presentes normas de avaliação regem-se pelo Regulamento Pedagógico da UTAD em vigor.


Descrição -Programa

1. Ligação Química - Breve Revisão
1.1 - Ligação iónica e ligação covalente.1.2 - A regra do octeto.1.3 - Estruturas de Lewis.1.4 - O conceito de ressonância.1.5 - Geometria molecular: o modelo RPECV.1.6 - Polaridade molecular.1.7 - Hibridação sp, sp2, sp3: hibridação em moléculas com ligações duplas e triplas.1.8 - Moléculas polares e apolares.
2. Introdução à Química Orgânica2.1 - Grupos funcionais mais importantes.2.2 - Representação de fórmulas estruturais.2.3 -Propriedades físicas e estrutura molecular.3. Alcanos e cicloalcanos 3.1 - Estrutura e nomenclatura.
3.2 - Propriedades físicas.
3.3 - Conformações. Análise conformacional de alcanos.
3.4 - Estabilidade relativa de alcanos e cicloalcanos. Calor de combustão.
3.5 - Conformações do ciclo-hexano.
3.6 - Ciclo-hexanos substituídos. Estabilidade relativa das conformações em cadeira.
3.7 - Síntese de alcanos e cicloalcanos por hidrogenação de alcenos.
3.8 - Reacções de alcanos e cicloalcanos: combustão e halogenação.
4. Estereoquímica4.1 - Isómeros constitucionais e estereoisómeros.4.2 - Enantiómeros e moléculas quirais. Estereocentros.4.3 - Nomenclatura de enantiómeros. Sistema R-S.4.4 - Propriedades de enantiómeros. Actividade óptica e rotação específica.4.5 - Mistura racémica e excesso enantiomérico.4.6 - Separação de enantiómeros. Resolução química.
5. Reacções de substituição nucleófila5.1 - Reacções de substituição nucleófila. Nucleófilos e grupos de saída.5.2 - Cinética e mecanismo das reacções SN2.5.3 - Estereoquímica das reacções SN2.5.4 - Cinética e mecanismo das reacções SN1.5.5 - Estrutura e estabilidade relativa de carbocatiões.5.6 - Estereoquímica das reacções SN15.7 - Factores que afectam as velocidades de reacções SN1 e SN2
6. Alcenos e alcinos 6.1 - Nomenclatura de alcenos e cicloalcenos. Designação de diastereoisómeros de alcenos: o sistema (E)-(Z).
6.2 - Nomenclatura de alcinos. Propriedades físicas de alcenos e alcinos.
6.3- Hidrogenação de alcenos e de alcinos.
6.4- Estabilidade relativa de alcenos. Calores de hidrogenação e de combustão.
6.5 - Reacções que levam à formação de alcenos e alcinos. Regra de Zaitsev.
6.6 - Reacções de adição iónica e sua estereoquímica. Regra de Markovnikov. Reacções regiosselectivas.

7. Compostos aromáticos 7.1 - Benzeno e seus derivados.
7.2 - Estrutura e nomenclatura.
7.3 - Reactividade e estabilidade do benzeno.
7.4 - Compostos aromáticos importantes em bioquímica.
7.5 - Reacções de substituição electrófila aromática. Mecanismo geral.

8. Álcoois e éteres 8.1 - Estrutura e nomenclatura.
8.2 - Propriedades físicas.
8.3 - Síntese de álcoois a partir de alcenos.
8.4 - Reacções características de álcoois.
8.5 - Síntese de éteres.
8.6 - Reacções características de éteres.

9. Aldeídos e cetonas9.1 - Estrutura e nomenclatura.9.2 - Propriedades físicas.9.3 - Síntese de aldeídos.9.4 - Síntese de cetonas.9.5 - Reacções características.
10. Aminas10.1 - Estrutura e nomenclatura.10.2 - Propriedades físicas.10.3 - Reacções características
11. Ácidos carboxílicos e seus derivados11.1 - Estrutura e nomenclatura.11.2 - Propriedades físicas.11.3 - Preparação de ácidos carboxílicos e seus derivados.11.4 - Reacções características.==
Downloads

Teórica












Teórico Pratica











Práticas